Jetibá Online
Rádio Jetibá Online

10 de Julho de 2020 | Santa Maria de Jetibá, ES

Busque no Jetibá Online:



Notícias

Energia ficará mais cara a partir do mês de agosto
Publicado 13 de agosto de 2014

energiaA partir do dia 15 de agosto, consumidores ligados à rede da Empresa Luz e Força Santa Maria terão aumento médio de 30,05% nas contas de luz.

 

 

Na alta tensão, o reajuste médio será de 30,42%, enquanto clientes atendidos na baixa tensão terão efeito médio de 29,93%.
O índice foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e vale para 11 municípios do Espírito Santo: Alto Rio Novo, Pancas, Águia Branca, São Gabriel da Palha, Vila Valério, São Domingos do Norte, Governador Lindenberg, Marilândia, São Roque do Canaã, Santa Teresa e Colatina. A empresa atende 101 mil unidades consumidoras.

 

Cálculos
A empresa esperava um reajuste médio de 21,83%. Segundo a assessoria de imprensa da Aneel, o índice que a empresa pleiteou tem fatores de cálculo diferentes daqueles que compõem o aumento médio anunciado pela Aneel, por isso a diferença do percentual em desfavor ao consumidor.

 

Outras cidades
Para os demais consumidores de energia do estado, a conta de luz já está mais cara. No Espírito Santo, os 1,479 milhão de consumidores atendidos pela Espírito Santo Centrais Elétricas S.A (Escelsa) já estão pagando 22,74% a mais pela energia.

 

 

A Escelsa havia solicitado reajuste de 27,17% para cobrir os custos com a transmissão, com a compra de energia para a sustentação do setor elétrico e os gastos gerenciais. A Aneel autorizou aumento médio de 26,54%, um pouco menor que o reivindicado pela concessionária. As grandes indústrias, que respondem por 50% do consumo, terão a tarifa reajustada em 23,58%.

 

 

O volume de chuva abaixo do esperado, no período de novembro a abril, foi uma das razões que pesaram para o aumento na conta de energia. Com a entrada em operação das termelétricas, movidas a gás ou diesel, a energia comprada pelas concessionárias ficou mais cara, explicou, na ocasião do aumento, o diretor de Regulação da Escelsa, Donato Silva Filho.

 

G1

Comentários