Jetibá Online
Rádio Jetibá Online

22 de Maio de 2019 | Santa Maria de Jetibá, ES

Busque no Jetibá Online:



Notícias

Espécies da fauna e flora ameaçadas serão avaliadas em workshop
Publicado 25 de abril de 2019

2. Muriqui - Brachyteles hypoxanthus. Foto Leonardo Merçon

O Muriqui (Brachyteles hypoxanthus) é uma das espécies ameaçadas. Foto: Leonardo Merçon

 

 

 

A Revisão da Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção do Espírito Santo está em fase de avaliação e o workshop será realizado em Vila Velha para analisar a lista. O Espírito Santo é pioneiro na avaliação de todas as espécies ocorrentes em seu território em um sistema informatizado desenvolvido no Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA), em Santa Teresa, e foi o 2º estado brasileiro a realizar a listagem. 

 

 

Atualmente, 951 espécies da fauna e da flora capixaba estão ameaçadas e correndo risco de extinção. No entanto, a cada dia as coleções biológicas ficam mais disponíveis para o público em meios digitais e esse conjunto de informações é uma das principais ferramentas para diversas formas de se avaliar a biodiversidade.

 

 

A avaliação do grau de ameaça de espécies de animais e/ou plantas é uma dessas análises baseada nos acervos biológicos existentes para uma determinada região e no conhecimento dos impactos em que as espécies estejam submetidas. Essa análise produziu uma lista de espécies ameaçadas no Estado.

 

 

Para compreender melhor essas análises, entre os dias 28 de abril a 1 de maio, mais de 160 pesquisadores e especialistas em diversas áreas do Brasil se reúnem para um workshop presencial, na Universidade Vila Velha (UVV), para revisar e atualizar a lista de espécies.

 

 

 

 

1. Orquídea Cattleya schillleriana. Foto Claudio Nicoletti Fraga

Orquídea Cattleya schillleriana, uma espécie presente na lista atual que deverá ser confirmada como ameaçada novamente. Foto: Claudio Nicoletti de Fraga.

 

O Espírito Santo é pioneiro na avaliação de todas as espécies ocorrentes em seu território em um sistema informatizado desenvolvido no Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA), em Santa Teresa, e foi o 2º estado brasileiro a realizar a listagem, sendo considerado o que mais descobre espécies de flora por hectare.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para o coordenador geral do projeto “Revisão da Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção do Espírito Santo”, Claudio Nicoletti de Fraga, a disponibilização dessa lista possibilita mais conhecimento sobre os impactos nas espécies ameaçada.

 

 

“Temos como exemplo o rompimento da barragem de rejeitos de mineração em Mariana/MG que afetou toda a biota do Rio Doce e a febre amarela silvestre que atingiu populações de diversas espécies de primatas. Essas informações possibilitarão produzir uma nova lista de espécies candidatas mais condizentes com as realidades biológicas e antrópicas do estado”, avaliou o pesquisador.

 

 

Para o professor da Universidade Vila Velha e mestre em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre, Charles Duca, quando uma espécie é incluída em uma categoria de ameaça a presença dela em determinados locais gera um alerta do ponto de vista das decisões dos órgãos ambientais, em relação às políticas de uso e ocupação do solo, visando a sua conservação na natureza e a preservação de seu habitat.

 

 

“Normalmente os empreendimentos são proibidos ou as condicionantes são grandes, gerando um aumento considerável dos custos relacionados ao licenciamento ambiental e implantação de empreendimentos”, afirmou.

 

 

Com a revisão da nova lista, busca-se encontrar recomendações para manejo e conservação dessas espécies e dos habitats que elas ocupam, assim como a legalização pelo governo – publicada como lei – para ampliar a proteção das espécies e para as áreas de ocorrência dessas espécies.

 

 

O resultado desse trabalho será publicado por um decreto do governo do Espírito Santo, além de gerar uma base de dados robusta sobre a ocorrência de espécies no estado e um livro de divulgação científica a ser lançado ao final do projeto. A lista será divulgada no Diário Oficial do Espírito Santo e, posteriormente, em formato de livro, em PDF disponível no site do INMA e do IEMA.

 

3. Nome científico Crax blumenbachii. Nome popular mutum-de-bico-vermelho. Foto Leonardo Merçon

Mutum-de-bico-vermelho. Foto: Leonardo Merçon

 

 

Parcerias 

 

 

O projeto “Revisão da Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção do Espírito Santo”, foi organizado pelo INMA em parceria com o IEMA (Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e FAPES (Fundação de Amparo a Pesquisa do estado do Espírito Santo).

 

 

Instituições envolvidas na coordenação

 

 

Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Universidade Estadual de Feira de Santana, Universidade Federal do Espírito Santo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Viçosa e Universidade Vila Velha.

 

 

Serviço:

 

Workshop Revisão da Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção do Espírito Santo

28 de abril – 12h a 16:30h – Abertura e reunião de nivelamento

29 e 30 de abril – 08h a 18h – Trabalhos em grupo

1 de maio – 08h a 12h – Plenária final

Local: Universidade Vila Velha (UVV), Vila Velha, ES

Contato: ameaçadas.es@gmail.com

Comentários