Jetibá Online
Rádio Jetibá Online

06 de Agosto de 2021 | Santa Maria de Jetibá, ES

Busque no Jetibá Online:



Notícias

Moradores se despedem de Gilson Amaro ex-prefeito de Santa Teresa
Publicado 15 de abril de 2021

Acompanhe toda a trajetória de Gilson Amaro nesta reportagem

 

Cortejo despedida Gilson Amaro - Foto Stephen Rossi

Cortejo de despedida de Gilson Amaro. Foto: Stephen Rossi

 

 

A cidade de Santa Teresa parou nesta quarta-feira (14) para se despedir do ex-prefeito da cidade, Gilson Amaro.

 

 

Por volta de 14 horas, um cortejo com mais de cinquenta carros saiu do Parque de Exposições e Eventos Frei Estevão Corteletti, no bairro Dois Pinheiros, seguiu para o bairro Alvorada e parou em frente à Prefeitura Municipal, onde várias pessoas puderam – de longe – se despedir.

 

 

Em seguida, o corpo do ex-prefeito, acompanhado de um carro do Corpo de Bombeiros, foi para o cemitério da comunidade São Francisco, em Santa Júlia, no município de São Roque do Canaã.

 

 

Gilson, de 75 anos, faleceu na noite de terça-feira (13). Ele estava internado há 56 dias na UTI Covid do Hospital São José em Colatina. Ele havia sido foi internado com 50% dos pulmões comprometidos no hospital Madre Regina de Santa Teresa, ainda na madrugada do dia 15 de fevereiro. Com 75% dos pulmões comprometidos, Gilson, foi transferido, dois dias depois, para a UTI do hospital São José.

 

 

Em março, Gilson, precisou passar por uma traqueostomia – procedimento em que aberto um orifício artificial no pescoço para ajudar na respiração. De acordo com sua filha Zu Amaro, o ex-prefeito não tinha mais em seu organismo a presença do vírus Sars-Cov-2 (coronavirus). Amaro apresentava uma bactéria que se instalou nos pulmões durante a infecção viral, e, por ser bastante resistente, a recuperação do ex-prefeito passou a ser mais complexa, o que resultou em sua morte.

 

 

Gilson Amaro, exerceu os cargos eletivos de vereador, deputado estadual e Prefeito de Santa Teresa por quatro mandatos. Ele também foi presidente da Amunes – Associação dos Municípios do Estado do Espírito Santo – e diretor da Ceasa.

 

Gilson Amaro no Museu Mello Leitão (INMA) - Foto Leonardo Meira

Gilson Amaro no Museu Mello Leitão (INMA). Foto: Leonardo Meira

 

 

 

 

Trajetória

 

 

Gilson Antônio de Sales Amaro nasceu em 10 de agosto de 1945 nas mãos sua parteira e avó paterna, na comunidade de São Francisco – Distrito de Santa Júlia – em Santa Teresa (atualmente munícipio emancipado São Roque do Canaã). Filho de agricultor e pedreiro e de lavradora e dona de casa, formou-se no primeiro grau escolar na Escola Singular de Santa Júlia.

 

 

Desde sua infância, sempre seguiu os princípios e ensinamentos dos pais, principalmente a importância de participar da vida em família e em comunidade por meio da fé e religiosidade. Ele tornou-se devoto de São Francisco e foi batizado, catequizado, crismado na Igreja de São Francisco em Santa Julia.  Botafoguense, Gilson se destacava também no futebol e sempre incentivou os esportes.

 

 

Em 1962, sua família enfrentava muita dificuldade financeira e com isso decidiu sair de casa ainda jovem (aos 17 anos de idade) para tentar a vida em Minas Gerais deixando para trás seus pais e oito irmãos. Conseguiu emprego de trocador de ônibus, trabalhou em supermercado, foi camelô e balconista em várias lojas (as antigas Casas Buri e Lojas Brasileiras, entre outras).

 

 

Depois de algum tempo aprendeu a profissão de metalúrgico prestando serviços em várias indústrias. Retornou ao Espirito Santo em 1982 e, ainda como metalúrgico, prestou serviços na Grande Vitoria e outros municípios.

 

 

Casado por duas vezes e pai de sete filhos, em 1987, devido a um acidente, abandonou a profissão de metalúrgico voltando para Santa Teresa e abriu uma construtora chamada “Sales” junto com seu pai e seus irmãos.

 

 

Entretanto, seu tio Octacílio Amaro (in memoriam) era militante político de Santa Teresa e percebeu que seu sobrinho era dotado de muitas qualidades que todo politico deveria. Seu Octacílio o incentivou a ingressar na carreira política quando em 1988 foi eleito o terceiro vereador mais votado.

 

 

Em 1992 candidatou-se a prefeito e foi eleito com 53,5% dos votos apurados, concorrendo com dois candidatos. Neste mandato contribuiu para emancipação de São Roque do Canaã e para o crescimento de Santa Teresa com o fortalecimento da economia com foco no aumento da arrecadação municipal.

 

 

Elegeu seu sucessor em 1997 e foi convidado a trabalhar na Prefeitura de Cariacica, na Secretaria de Planejamento.  Em 1998, entrou como suplente na Assembleia Legislativa do Estado Espirito Santo e, após as vacâncias do deputado estadual José Tasso e do deputado Madureira, assumiu a legislatura no período de 01/02/1999 a 31/01/2003, sendo reeleito a Deputado Estadual no mandato seguinte, se mantendo no cargo até 30 de dezembro de 2004.

 

 

Na Assembleia defendeu várias proposições importantes para Santa Teresa, dentre elas a melhoria das estradas rurais tendo como grande conquista a reforma da rodovia que liga Santa Teresa a Fundão, o asfaltamento do trecho que liga o distrito de Santo Antônio do Canaã a Várzea Alegre e também a pavimentação da via entre o os municípios de São Roque do Canaã a Itaguaçu.

 

 

Em 2004, candidatou-se novamente a prefeito de Santa Teresa – ES, sendo eleito com 72,3% dos votos apurados e reeleito com 68,6%, administrando o município no período de 2005 a 2012. Nesses dois mandatos lutou pela saúde e pela educação, sem esquecer as causas sociais.

 

 

 

Missa em Italiano nsa Festa do Imigrante 2019 - Foto Leonardo Meira

Missa em Italiano na Festa do Imigrante 2019. Foto: Leonardo Meira

 

 

 

Realizou projetos importantes para a ascensão do turismo, atraindo mais visitantes em parceria com o povo teresense. Trabalhou para que os eventos turísticos e culturais acontecessem e trouxessem rentabilidade para todo o município e incentivou o empreendimento de novos hotéis, vinícolas, melhores eventos, aperfeiçoamento da culinária e conservação do patrimônio histórico. Nesse período Santa Teresa transformou-se no maior produtor de uva e vinho do Estado. Gilson também foi um lutador incansável pela defesa do meio ambiente.

 

 

Destacou-se entre os melhores prefeitos do Brasil, por isso foi eleito à presidência da Amunes (Associação dos Municípios do Espirito Santo) no período de 2009 a 2011. Construiu a nova sede Associação e defendeu o municipalismo buscando apoio para os prefeitos.

 

 

Em 2014 se candidatou a Deputado Federal e obteve 24.229 votos, porém não conquistou a vaga na ocasião. Em 2016 se candidatou mais uma vez a prefeito da primeira cidade de colonização italiana do Brasil sendo eleito com 35,87% dos votos. Seu mandato terminou em 31 de dezembro de 2020.

 

 

Texto: Leonardo Meira

Fontes: família Amaro, Rádio Canaã FM e Regionalidades

 

Comentários